domingo, 9 de maio de 2010

Cura


Andei perdido. Faltaram motivos e inspiração para encontrar palavras e formar sentenças. Tive que trocar os braços pelos berços para reaprender a andar com a imaginação. Hoje eu te amo mais. Já te amei de menos, mas isso só acontece quando o outro ama incondicionalmente. O outro parece passar a amar menos.
Continue respirando à minha falta, é o único jeito de você conseguir prosseguir. De nós conseguirmos prosseguir. Somos melhores um sem o outro, somos mais completos separados. Eu não sinto mais a tua falta. Fiz escultura das tuas míseras lembranças.
Uma dor pode curar outra dor. Temos mania de cultivar dores. Parcelamos em várias prestações para dar mais valor. Vê se você não faz isso! O sofrimento é sempre um drama e amar é uma minissérie reprisada: já conhecemos todos os episódios, todas as falas, todas as cenas, os personagens. Mas não cansamos de assistir. O comercial é o intervalo entre um amor e outro.
Perdi todas as preces. Não me escrevo mais em papel. Qualquer pedaço do céu se torna folha de rosto. Sinto saudades de ser invencível, de ter super poderes, de usar uma capa mágica aos olhos do outro. Tenho super poderes quando amo. Mas hoje estou um super-herói desempregado. Um desesperado por um bico, por um amor quebra-galho.
Nenhuma canção entorpece os ouvidos. As baladas foram extintas. Os amigos só se apresentam para o chá das cinco, ou das seis, ou das oito, qualquer hora serve. Minha vida pacata mais parece um seminário, se fosse mais pacata nem chegaria a ser um monólogo: eu não me suportaria. Daria meia-volta e pediria demissão a Deus. Cortaria as cordas do pescoço para não levantar suspeitas da incompetência.
Viver não é fácil. Amar não pode ser tão difícil. Ser honesto não é escolha. Ser educado ainda é elegante.
Esperei a chuva chegar para repaginar as folhas. Folhas encardidas com as pontas bem amareladas, histórias tortas, letras fora de contexto, datas que não fogem da memória. Tudo serve para lavar os olhos e suspirar o antigo, o passado. Meu suspiro é um desespero disfarçado de alívio. O passado tende a se reprisar, a se repetir. O futuro é uma crença, você inventa acreditar para não se surpreender demais quando chegar.
Queria ter a bravura de um cachorro que corre atrás de um carro. Sou um carro sem cachorro. Sou a chuva sem nuvem. Não consigo imaginar a vida com uma canção final. Seria um funeral anunciado, uma viagem antecipada para o inferno, a cor amarga do fim.
Lembro do teu sorriso de vez em quando. Você não vela mais o meu sono. A cura veio depois de dois anos. Longos anos de conversas sobre você para os desconhecidos, rasgando elogios a alguém que nunca foi mais do que ninguém. Fiz de você uma Santa. Alguém que viveu em um pedestal com uma oração repetida à exaustão. As mãos unidas pela fé de não querer acreditar que você voltaria. Você não voltou. Nunca voltará. Eu nunca voltei, por que achei que você voltaria se quem tinha o amor não era você?!
O câncer foi curado, agora é hora da terapia. Recompor o corpo e o peito para a maratona de buscas. Ou de espera... Vai saber! Obrigado por ter dito o que foi preciso ser dito. Sou grato por cada segundo que me dedicou. Levei muito tempo até à paixão e mais tempo ainda para retornar dela. Encontrei um potinho de ouro que você fez questão de retirar das minhas mãos. Você se retirou das minhas mãos.
Estou curado. Assim que abandonamos um amor, só nos resta viver outro.
Leandro Lima

6 comentários:

Bárbara Fróis disse...

O que mais me impressiona é a doçura com que você usa as palavraas... é a leveza e a intensidade que os seus textos trazem! Aqui eu encontro um alivio pra minha almaa e uma inspiração! Bejos

Nataliagomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natalia Silva disse...

ê...voce escreveu o que eu sinto..e preciso ser curada...vc foi curado..agora me resta a CURA!

Lane disse...

suas palavras são tão verdadeiras... gostaria que essa cura chegasse até uma pessoa especial.. infelizmente hoje eu digo a ela que "não te amo mais"..
Lane

Menina disse...

você è muito talentoso!
adorei seus textos!

tou seguindo!!

beijos!

Daiane Carvalho disse...

Nossa! Que lindo seu texto, como você escreve bem.
E mais, acabei me identificando tanto com seu texto, espero em breve me curar e abandonar integralmente um amor que ainda tá mais aqui do que guardado no meu passado. :(
Parabéns pela maneira como expressa seus pensamentos e sentimentos, muito lindo! Amei!