terça-feira, 21 de julho de 2009

Perder um amigo







Leandro L.



Hoje perdi um amigo. Desculpa, não perdi não! A gente não perde aquilo que não conquista... Entre tantas desavenças acabamos a “conversa” com um “valeu mesmo”. Será que valeu mesmo? Não, não valeu. Algumas amizades duram por algum motivo que não são necessariamente só a amizade. Aqui é vida real. As coisas não são passíveis de se alimentarem sozinhas de atitude que não se renovam. É preciso cultivar. Renovar. Atualizar. No amor, a mesma coisa. É por isso que muitos relacionamentos acabam: acha-se que se conquista e pronto, é imutável! Deve-se regar como se faz com as plantas, se não morre. Deve-se reconquistar para manter o sentimento. Tem que ser uma luta diária para não deixar a chama se apagar. Pode ser que você tenha um amigo que não “abra mão” de você por um rabo de saia. Pode ser que você tenha aquele amigo que passa para te pegar em casa e te chama para sair sem ao menos saber para onde. Pode ser que você tenha um grande amigo e eu invejo isso (mas uma inveja saudável, se é que isso existe!). Pode ser que vocês compartilhem o mesmo sonho e façam qualquer loucura juntos pra consegui-lo, mas qualquer loucura mesmo. Pode ser que esse amigo, ao invés de saber que você precisa de ajuda, te ajuda! Pode ser que você tenha um amigo que te chama final de semana pra jogar videogame mesmo tendo uma pilha de trabalho pra fazer. Pode ser que você tenha um amigo que te ligue só pra dizer “E aí, como tá?” e só com isso descubra como você está de espírito. Pode ser que você tenha um amigo que te xingue e você revide e se atraquem no chão, mas que logo depois estão se falando e assistindo TV juntos. Pode ser que você tenha um amigo que te segure quando for preciso e que te solte quando for necessário. Pode ser que você tenha um amigo “pau pra toda obra”. Pode ser que você tenha um amigo que seja o primeiro a chegar e o último a sair da festa na sua casa. Pode ser que você tenha um amigo que assalte a sua geladeira e que isso seja natural. Pode ser que você tenha um amigo que rache a cuca e rache a gasolina. Pode ser que você tenha um amigo igual ao Bob Esponja e o Patrick, aquilo sim é amizade! Pode ser que você tenha um amigo e espero que tenha, pois eu não tive. O meu amigo era uma brincadeira de faz-de-conta. E essa brincadeira acabou...


2 comentários:

Alline Pinheiro disse...

Meu deus,o que aconteceu?
mais lhe indendo..sei como eh isso de amizade..
ôh!como sei..
Mais fica bem..
As vezes,me torno um amigo invisivel,mais somente perante seus olhos...conte-me comigo sempree...
Bjus*

Salum H. disse...

Como nos decepcionamos com amigos, mas o culpado desta decepção somos nós mesmos, as vezes nos entregamos demais a quem não nos merece, ou cedo demais, mas mesmo assim ainda prefiro acreditar que todos valem a pena, durante o percurso vou cair , me machucar, me decepcionar, mas terei a certeza de um tentar. Como vc disse e concordo amigos e amor são como uma plantinha, e não adianta hoje encher ela de água e ai deixar, tem que ser TODO DIA UM POUQUINHO, e o verdadeiro amigo vai saber organizar o tempo do "rabo de saia" e o seu tempo.Hoje já aos 40 posso enumerar alguns amigos, mas tenho uma certeza, os verdadeiros são aqueles que te dizem o que você nunca quer ouvir,eles nem precisam estar presente todos os dias, mas estão lá, de olho em você. Você vai ter um amigo assim sim, mesmo que longe,mas vai.