quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Amor Louco ou Louco Amor?


Você é assim: tem hora para surtar. Sua loucura tem tempo para ser, é compassada. Você toca num ritmo bem certinho no momento errado. Você é tudo o que escrevi pra assustar. Você é uma palavra solta, presa no ar. Você transborda do corpo. É excessiva na despedida, desesperada no encontro. A medida exata para um louco amor. Ou um amor louco?
Você acabou tornando os meus ouvidos os olhos da alma. Fez-me sentir o gosto doce de um beijo que nem foi dado. Você é o que não conheço para querer conhecer mais. Um mistério complacente. Aviva minha imaginação como em uma roda-gigante. Cerca os meus cílios com tua voz. Nunca te vi, mas já sei te ler.
O desconhecido nos força a querer algo mais. Correremos o risco de se perder e se perder mais se não arriscar. Fica a interrogação. Fica um vão para se responder. Um espaço libidinoso à frustração. Você arriscaria?
Toda felicidade tem prazo de validade; tristeza não. Vamos sempre relembrar uma dor, não com tanta intensidade como no início, mas morrerá conosco: do mesmo jeito que nasceu. A dor é sempre originária de quem a causou, o amor, de onde morreu. Só os amores não morrem conosco. A dor será enterrada como uma flor no bolso do paletó. A tua tristeza não te anula; me apavora.
O pensamento ficou pesado, os olhos cabisbaixos... Tentei refletir o mesmo que você com o semáforo piscando. Avancei na teoria de que poderia ter dado certo. Não deu. Cortei a angústia de te querer mais com um suspiro. Desisti de te querer para me cobrar o retorno. É melhor deixar pra lá.
Você fantasiou o seu mundo no meu. Fez de mim um príncipe encantado sem razão. Chorou excessivamente em todas as frases. Fez de mim um motivo para não voltar. Queria ter sido o seu motivo para seguir em frente. Espero que essa nova cidade lhe proporcione novos ares. Você terá novos ares! Por que achei que não? Conhecerá outros homens. Fará as mesmas ligações com o nome trocado. Serei esquecido na sua lista. Não serei mais o seu amor particular. Tornar-me-ei um esquecimento. Terá poeira em meu nome.
Melhor assim! Era paixão. Uma paixão única e exclusivamente sua. A paixão cobra todas as razões; o amor só precisa de um motivo. Eu quero amor.
Há uma diferença entre amor louco e louco amor. No primeiro, a gente tenta a loucura depois. O amor vem primeiro.
Leandro Lima

4 comentários:

Gislãne disse...

gostei dos textos...vierei seguidora.... depois vai lá espiar no meu cantinho
bj

Winny Trindade disse...

Bonito isso.
Agora estou pensando se é melhor um amor louco ou um louco amor...

Abraço meu.

Anônimo disse...

Lindoooo texto!Dores, amores loucos, loucos amores...Nunca serão esquecidoS!

Luzia Medeiros disse...

Leandro, lindo! Pareceu-me um "esvaziar" do coração. E o engraçado é que esse texto serve para mim, cai quase que perfeitamente, salvo que não nos separamos devido a uma mudança. Embora não se tenha forças para lutar, por outros motivos que não os seus.
Isso é tão triste né?! Mas faz parte!
Parabéns! E quando quiser visitar meus blogs será muito bem vindo.

Ah! A musica é linda tb!

Abçs,