quinta-feira, 15 de abril de 2010

E agora?



Até hoje você não veio. Não vem. E virá?
Depois de muito tempo descobri que não existe outra igual a você. Seus beijos são únicos. Nossos beijos são únicos. Só as despedidas são as mesmas: mãos perdidas num aceno e lágrimas ensopando o rosto.
Sei que já está meio tarde para querer outro romance, outra paixão, outra dor de cabeça, mas não desisto de acreditar. Nunca é tarde para se amar alguém. É como brincar no balanço aos 40 anos: vão te crucificar, porque você já não tem mais idade para isso. Quem disse que não?!
Vasculho as gavetas para tentar encontrar uma pista de onde você possa estar, de onde te encontrar. Preparo o peito, vou a um encontro onde só eu aparecerei. Você não estará lá para elogiar a minha pontualidade. Faço cartas, declarações, crio frases, monto um esquema imbatível de jogos para o final de semana, lustro os sapatos, escrevo mais recados, desenho lá fora o medo que tenho de viver sozinho aqui dentro. E você não vem! Por que você não vem? Pilhas de beijos te aguardam.
Lavo o carro, faço a barba, visto a roupa mais bonita para apagar a vela sozinho. A vela nunca foi tão amada assim. Componho canções que mais parecem trilha para velório. Velo uma lembrança a cada dia. Sentir saudade de alguém que você conheceu e se foi é compreensível, mas sentir saudade de quem você acha que ainda surgirá na sua vida é a maluquice instalada.
Mantenho-me firme ao pensamento. O plano é quase infalível: um dia eu te encontro por aí, num esbarrão, comprando pipoca na fila do cinema... A estrada é longa pra quem sabe aonde quer chegar. Eu não quero chegar lá. E, se chegar, quero chegar lá com você. É você quem fará o meu caminho. Você será o meu caminho. Quem sabe você não é amiga de uma amiga de uma amiga?
Não, acho que não dá pra ser assim. Preferível acreditar em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa... Em certas épocas do ano eles aparecem. E quando você aparecerá?
O amor nunca vem se você o procura. Ele te encontra.
Leandro Lima

5 comentários:

Bárbara Fróis disse...

Maravilhoso o seu texto, toda vez que venho aqui fico encantada! Bejos

Douglas Melo disse...

Muito bom o texto cara, realmente. O início ainda parecia querer expressar uma outra coisa, diferente da que tu querias passar, mas no fim, ficou claro o sentido. Te entendo e compartilho desses pensamentos e desejos.
Boa sorte!

Fernanda Vaitkevicius disse...

Ótima reflexão!!!

Sempre ele, com ele, por ele... o AMOR!


Na alegria inflama quem o vive, e parece abandonar os que estão à sua procura, na Dor!

jefhcardoso disse...

Leandro, pensei em uma maneira de falar e homenagear a todos que tanto vêm me incentivando com o carinho e apoio que me doam.
Escrevi uma crônica pensando em nós blogueiros. Falei sobre o que penso ser o blog para nós. Você pode concordar ou discordar; pode também acrescentar; mas não deixe de opinar. Leia e entenderá por que a sua opinião é indispensável para mim e para todos blogueiros.

Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

jami disse...

mas uma vez me surpreendo com vc nando,ta lendo E AGORA?e ,es,o q vc ta falando comigo uma pergunta para uma reposta ,pq nos mulheres se enganamos com velho fato de se envolver com autor de tal maneira q sao coisa das nossas cabeça pelo menos responda,tem uma trecho q eu achei bem engraçado quando vc escreve.(QUEM sabe vc nao é amiga de uma amiga de uma amiga) so vc mesmo pra mim fazer rir de ponto de minha vida q tenho q tomar uma decisao agradeço a DEUS por saber q tem pessoas como vc q precisa de ser amada mas escreve tantas coisas, que em algum momentos de nossas vidas nos sentimos bem ,dependo do que possamos imagina vc é d+++ parabens ..