domingo, 18 de outubro de 2009

Esquece Tudo Isso



Para os relacionamentos de hoje...

Esqueça. Pegue suas coisas e suma do meu rosto. Não te preciso mais. Seus beijos se tornaram café frio: sem cheiro e com gosto de ontem. Pegue o seu coração e vá tentar uni-lo com outro desconhecido. Você já não faz mais parte do meu espaço. Você se tornou um conhecido estranho.

Fácil como desligar a TV: só apertar o botão e você some. Não quero mais o teu cheiro entranhado no meu pescoço. Sua voz agora é rouca pra abafar o amor que tanto te serviu.

Anda, recolha os teus dedos dos meus cabelos e vá. Não diga que tudo vai ficar bem, pois não vai ficar. Vou à taberna e quando eu voltar não te quero mais aqui. Você não pertence mais aqui. Você não foi demitida, foi rebaixada, foi despromovida.

Os lugares que costumávamos frequentar perguntarão por você e não responderei. Hesitarei na resposta. Não procurarei respostas. Procurar respostas é insistir no problema. Quero outro problema. Você já não serve mais.

Não me importo para onde você vai. Vá. Simplesmente vá.

Isso não é uma ameaça, é uma promessa. Não tente me impedir da decisão. Você teve suas chances. Dei todas as chances que você merecia. E as que não mereciam isso, inclusive. Atravesse a rua e não olhe para trás. Olhar para trás é “amanhã eu volto!”. Não volte! Nem amanhã, nem depois e nem depois de depois de amanhã.

Daqui a dois minutos refaço a alma e você já terá sido apagada do pensamento. Já estarei beijando outro sorriso e me entregando feito bobo para outra desconhecida. Simples assim!

Você não me verá mais por aí. Estarei desfilando pretensioso com ar de quem nunca amou você. Nunca amei você. Não tive tempo para isso. Você não me permitiu. Amar é outra coisa, é mais do que uma coisa, é sublime, é algo depois do céu, mais abaixo do mar, dentro das árvores, fora do corpo. É reconhecer pássaros onde eles não existem. Bem que os pássaros me avisaram que isso não era amor.

Mas não mude de assunto. Descarte esse amor. Amasse-o e jogue no lixo. É isso que se faz quando acaba. As pessoas fazem isso; o amor, não. Devolva-me todas as lembranças junto com os ursinhos e as cartas que te dei. O ursinho é o símbolo do que, um dia, foi o nosso amor. Em casa eu tenho mais papel. Em um tempo reinvento outro amor. Novinho.

Agora vá. Já falei tudo o que tinha para falar. Não vou refazer meu discurso. Chorar não vai limpar a mesa e requentar a comida. Enquanto você chora, retire-se. Bater em retirada é a covardia mais indicada. E mais uma vez: esquece tudo isso. Tudo.

Tchau!

Leandro Lima

4 comentários:

ana.d.w disse...

Se você simples assim deixar alguém, eu estaria muito feliz, mas ai o amor seria mais fútil do que já é...
Postagem muito perfeita, pena que um pouco ilusória. "Procurar respostas é insistir no problema."

B. disse...

Cada verso seu meus olhos n se contém!!
Já nem tenho palavras p descrever o quanto seus textos são bons...

amei, e estou esperando até hj vc me adicionar no msn ou orkut :OO

beijãaao \o

http://pequenab.blogspot.com/

anonimo_claxb disse...

que texto hein?
perfeito,
mas concordo com a ana,
deixar alguém não é tão simples, e tem um pouco de ilusão.
Mas tá muito bom, você escreve muito bem;)
beeijo:*

- Biia disse...

oooi,
ameei o blog,os textos são perfeitos parabéns,to seguindo.
Beiijos :*