segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Minha Vida É Um Feriado

Série: Abstrato

Passei a feriar depois que você se foi. Fiz da vida um domingo. É só olhar para a rua e ver o movimento ou, melhor, a falta dele. Meu coração é uma rua. Trancafiado na liberdade. Passei a sobrar nas horas. É o tempo que me tem, que me consume.

Porque minha vida é um feriado, a pacificidade vinte e quatro horas.

Um feriado prolongado, quando a segunda se confunde com todos os outros dias, quando não começa e nem acaba. Tudo parece fácil: ir ao shopping, ao cinema, encontrar com os amigos, ensaios com a banda; uma viagem pra China e não hesitarei na resposta. Tão fácil quanto difícil. Fazer tudo e não ter mais com quem compartilhar. Nada mais me prende a um lugar.

Tudo pode ser marcado sem preocupação, você não estará lá para me fazer um convite e repensar o compromisso, ou contar que sua mãe fez strogonoff e me fazer mudar de rota. Nada será adiado, tudo pode ser agora.

Ficar sem saldo no banco já não é problema, você não pedirá um cinema em cima da hora para me assustar e me fazer mudar todos os planos do dia. O cinema pode esperar sentado por mim. Não farei alarde pela sessão. Não balançarei a perna esquerda esperando você chegar quando o relógio marcar 20 minutos de atraso. O atraso mais aceitável, porque, se todo jeito de pedir desculpas fosse igual ao teu, toda espera valeria a pena, a recompensa para toda prece.

Não tenho mais pressa. Perdi o vício da pontualidade, depois de você. Nem comigo sou mais pontual, ando chegando atrasado em mim. Atraso nas palavras, no sonho, em atender ao telefone. Sei que você não estará lá, para que a pressa¿ Os dias passam sentados numa cadeira de balanço encarando o vento. Observo os dias observarem o vento.

Deixo tudo para amanhã, para depois de amanhã, para depois de depois. Em um sábado qualquer resolvo.

Minha vida se tornou um feriado. O mundo aos meus pés e sem ter pra onde partir, sem ter com quem partir, sem um corpo para repousar.

Talvez eu ainda espere você voltar.

Sem amor, somos um feriado.


Leandro Lima

4 comentários:

Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lua disse...

q coisa mais lindaaaa!!!
mais um dos seus perfeitos textos...Sou sua fã!

Luly disse...

Então,doeu ler! Que texto hein! deu vontade de um abraço forte, te pegar no colo e oferecer um doce, de segurar sua mão e ir passear no parque...de fazer vc aproveitar o feriado =)

Keli Wolinger disse...

Somos pausas, vírgulas recheadas de reticências que buscam infinitamente a curva da interrogação.