domingo, 6 de setembro de 2009

Felicidade




Felicidade é escrever com letra maiúscula. É rasgar as roupas sem se importar com a linha. Felicidade é ser bobo. É brincar de ser criança no meio da tristeza. É roer as unhas com pimenta e não sentir. Felicidade tem mais é nome de gente. Suspeito que felicidade seja um amor vestido pra dormir: aquele que você não precisa se preocupar que quando você acordar ele vai permanecer com os cabelos entres os suspiros.

O sentimento de felicidade é tão grande quanto o nome. Fe-li-ci-da-de, o mesmo tempo que demora para pronunciar demora para aparecer. Felicidade é um pedacinho de momento no tempo no qual descobrimos o valor de um sorriso, de uma atitude, de um objetivo. Felicidade é saudade arquivada de boas lembranças. É caminhar sem necessariamente andar. É tomar banho de chuva e não gripar. É ganhar uma caixa de bolinho no dia do aniversário e achar o melhor presente do mundo.

Felicidade é ouvir o próprio nome pronunciado no vento. É quando se para de procurar um coração. Felicidade é devorar uma panela de brigadeiro. É sentir que os dias não passam em vão. Felicidade é ter apelido. É ter amigos. É ter amigos para dar apelidos. É ter um cachorro que babe em você ao chegar em casa. Felicidade é não querer esquecer. É aprender. É um grito no sossego.

Felicidade é uma lágrima de paz que aperta sem abraçar.

Leandro Lima

8 comentários:

Hellen disse...

Muuuito lindo. *w*

matáfora 4 ever. XD

ana.d.w disse...

Leandro, você escreve muito bem! Sem palavras. Muito lindo o post, na verdade todos os posts daqui são fantásticos. Sem palavras, felicidade é tudo isso que você citou, pena que muitos não valorizamos as pequenas coisas.

Dica disse...

Que bonito, Leandro!
Felicidade é uma das palavras mais completas e lindas do dicionário.
Eu gosto com carinho dela, é até gostosa de ler repetidamente..
Sempre que repito a palavra abro um sorriso.


Adorei o que escreveu sobre ela.
beijo!

Laís disse...

Olá Leandro! =)
Vc deixou um comentário no meu texto no blog de troca de cartas, aí como eu sou muito xereta, resolvi dar uma olhada aqui! auahuahuahauhaua
Olha, gostei muuuuuuuuuuuito desse teu post! E concordo com o que vc diz nele!
Deu-me uma alegria esse teu texto!
Parabéns por escrever tão bem =)

abraço!

Laís disse...

Oi! =)
hauahuahauhauhauaa
Então, na verdade tu não deixou um comentário no meu blog, e sim em um outro que eu posto de vez em quando =)
é o "PS-que seja doce", onde as pessoas escrevem cartas auahuahuaa

De qualquer maneira, será um prazer tê-lo em meu blog e estou te seguindo também...

abraço!

Algo de mim disse...

Não sei se hoje eu estou mais emotiva, mas sei que ler esse texto me deu vontade de chorar. Mas as lágrimas não cairam, ufa ainda bem!
Eu to te falando, eu AMO o jeito que você escreve. É tão lindo e simples ao mesmo tempo. É maravilhoso. Esse texto especificamente, me lembrou uma de minhas autoras preferidas, a Lygia Bojunga, não sei se você conhece ou acha que ela escreve coisa boba. Mas eu, que me delicio em seus livros, vejo o infantil de sua escrita, e o adulto que uma criança nunca poderá pegar. Esse jeito mastigado de dizer as coisas difíceis e torná-las fáceis, ou de mastigar as coisas mais fáceis e deixá-las ainda mais perceptíveis. E eu adoro isso.
Agora arranjei tempo, vou fuçar teu blog!
Beijos

Geovana disse...

Peguei o texto pra mim e colei lá no blog... Bjo.

Bom final de semana.

B. disse...

ameei, querooo sentiir essa felicidade todaa tb =] aueiauieua'
gostei dos ultimos parágrafos *--*

beijãao :D